Há tempos

É estranho pensar como uma música composta a 20 anos atrás permanece tão atual e tão jovial. O momento de sua concepção: Brasília, 1989, a ditadura já tinha terminado a algum tempo, mas ainda se sentia os reflexos da mesma; e Brasília a cidade que se subentende ser a mesma descrita na música era a que mais sentia seus efeitos e frustrações. Por ser a capital do país se concentrava um caldeirão de informação ou desinformação, e um fervilhão de emoções.

Quando digo dessa semelhança, faço um paralelo com os dias atuais, aos quais estamos inseridos e, a qual Feira de Santana (minha cidade) faz parte desse contexto. Já a algum tempo percebo como ela tem se tornado tediosa. As pessoas não reconhecem umas as outras ou muito menos se conhecem. A cada dia que passa, as pessoas tem-se tornado mais vazias, com comportamentos que não condizem com a existência humana. As questões socioeconômicas estão sempre acima de tudo.  

As pessoas são julgadas pelo tipo de roupa que usam, os lugares que freqüentam e em que parte da escala social o cidadão está inserido. Parece cocaína, mas é só tristeza, talvez tua cidade; nestes versos as comparações são inevitáveis, as relações interpessoais estão se perdendo ou foram quase todas perdidas, cocaína com tédio, mas ao mesmo tempo se comparado com a frieza que a cidade representa. Não sei a que ponto isso vai chegar, mas tem me preocupado, não se existe o prazer de se conhecer pessoas novas, fora do seu circulo de amigos, que faz com que me entristeça profundamente. E o que mais me assusta, isso será apenas o começo?   

Anúncios

~ por Zach em janeiro 18, 2009.

Uma resposta to “Há tempos”

  1. Feira de Santana em alguns aspectos é como uma cidade grande, em outros é bem interiorana. A questão do distanciamento entre as pessoas é uma característica típica das grandes cidades e é muito perceptível aqui, some a isso a metidez do povo daqui (metidez a que ninguém sabe). Acredito que há pessoas interessantes a serem conhecidas aqui, a questão é: como? Quanto a isso, sinceramente não esquento, a vida é cheia de idas e vindas, o que às vezes faz falta é um bom papo com um amigo que pensa mais ou menos como você e que vive num mundo parecido. Quanto ao fato da cidade se tornar tediosa, ela sempre foi assim e só piora: violenta, com pessoas trancafiadas em suas casa tão logo anoitece e com um transporte público ridículo e caro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: