Medo da Verdade – Gone Baby Gone

Depois de um inicio promissor como roteirista ganhador do Oscar pelo filme Gênio Indomável (Good Will Hunting), o ator Ben Affleck (juntamente com seu amigo e parceiro Matt Damon), passou por um período turbulento na sua carreira, excesso de filmes com gostos duvidosos, altos e baixos como ator, e alguns escândalos. O ator tem se mostrado disposto a recuperar o tempo perdido, como se percebe nos últimos trabalhos que o mesmo tem realizado. Com uma atuação mais que segura no filme Hollywoodland – Bastidores da Fama interpretando o ator George Reeves que ficou conhecido apenas pelo Superman na televisão, Ben Affleck tem mostrado um fôlego e nos deu provas de que tem potencial para ser um bom ator e que pode ter as rédeas da própria carreira.

Nessa retomada do tempo perdido, o ator e roteirista dirigiu um pequeno filme, mas grande em essência. Baseado no Romance Gone Baby Gone de Dennis Lehanne. O filme narra a história de dois detetives particulares vividos pelo casal Casey Affleck (irmão na vida real de Ben) e Michelle Monaghan que procuram uma menina de quatro anos, raptada num bairro degradado de Boston. À medida que investigam o caso, o desespero da mãe aumenta, e percebem que nada é o que parece. Polícia e os marginais se entrecruzam num mundo em que afinal todos podem ser culpados. Eles arriscam tudo, a sua sanidade mental e até as suas próprias vidas para tentarem encontrar a menina, mesmo sabendo que são raros os casos de crianças que são encontradas após as primeiras 24 horas.

Com uma narrativa, que flui sem maiores dificuldades o filme tem o mesmo ritmo do também ótimo Sobre Meninos e Lobos (Mystic River) de Clint Eastwood. Muito da narrativa se deve ao escritor dos livros que originaram as duas historias.

Com uma atuação sempre segura o ator Casey Affleck, se mostra uma escolha acertada para o papel, independente do grau de parentesco com o seu diretor. Se mostrando as vezes explosivo, ora contido e que nos revela pouco mas o suficiente para sabermos que aquele detetive tem um passado com raízes profundas naquela região onde se desenvolve toda a historia,  e é justamente por isso que o filme não leva uma nota máxima, poderia ser dado uma maior ênfase ao passado do nosso protagonista, para sabermos como foi sua vida. Em dois momentos específicos do filme isso nos deixa transparecer, em um momento que um traficante local oferece cocaína e que ele simplesmente diz que não usa a muito tempo e outra em que ele conversa com um policial após um enterro e que se mostra muito amigo do mesmo. Deslizes de um diretor iniciante, mas que não comprometem a película.

O elenco secundário também é um show a parte, a atriz Michelle Monaghan que faz sua parceira e companheira também se mostra bastante competente mostrando todo o sofrimento que o casal tem passado durante o caso, e o que dizer de Ed Harris e Morgan Freeman, com suas atuações dão ao filme uma credibilidade que o mesmo precisava para uma vida mais longa nos circuitos, sendo Ed Harris um ator sempre interessante, com atuações sempre muito intensas e memoráveis. Contudo o maior responsável por todo o mérito do filme mais uma vez é Ben Affleck que nos transmite uma direção segura e competente, e acredito que tenha uma carreira promissora por trás das câmeras num futuro próximo.

Nota: 8,0

Anúncios

~ por Zach em maio 14, 2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: